Roma Brasil.com

Roma sofre no segundo tempo mas vence o Genoa por 3 a 1

Hoje, 19/01, a Roma viajou até Gênova para enfrentar um dos lanternas da competição. O jogo começou com a Roma bastante segura, pressionando a equipe da casa nos 45 minutos iniciais, mas sofrendo nos 20 primeiros minutos do segundo tempo. A partida só foi decidida quando Dzeko anotou o terceiro gol giallorossi aos 70 minutos.

Táticamente a Roma jogou como tradicionalmente joga, em um 4-2-3-1. A saída de bola, diferentemente do jogo contra o Parma no meio de semana, não era feita por um zagueiro central e sim pelos dois volantes (Diawara e Veretout) que se aproximavam ora de Mancini, ora de Smalling.

Assim como quando atua com Perotti, Paulo Fonseca exigia de Kluivert (mapa de calor acima) uma maior presença no setor de meio campo, deixando Under mais aberto mas com a liberdade de cortar para o meio. E foi com uma jogada de Under cortando para dentro que a Roma abriu o placar aos 5 minutos.

Por conta de suspensão, nem Florenzi, nem Kolarov jogaram contra a equipe mais velha da bota. Seus substitutos foram Santon e Spinazzola (mapa de calor acima). Depois de ser envolvido em uma conturbada troca por Matteo Politano, que não foi para a frente, era de se esperar que Spinazzola se mostrasse nervoso ou inseguro no jogo de hoje. Mas o que aconteceu foi bem diferente disso. O lateral romano jogou muito bem contra o Genoa, sendo um dos principais nomes da equipe na partida e dando origem ao segundo gol giallorossi na partida.

Santon também se mostrou bastante seguro e útil para o restante da temporada. Desde os primeiros minutos de jogo, quando a Roma pressionava o Genoa, foi possível ver que a zaga do time da capital batia cabeça em alguns contra ataques da equipe da casa. Logo nos primeiros 15 minutos Mancini já havia salvado duas bolas periogosas que atravessaram a área de Pau López.

O único gol do Genoa na partida foi fruto de uma bobeada da zaga romana e de uma belíssima leitura de jogo de Schone, que enfiou Pandev nas costas de Mancini e Smalling. Além de Spinazzola, outros jogadores que merecem menção honrosa no jogo de hoje foram Pau López e Lorenzo Pellegrini. Se não fosse o arqueiro espanhol a equipe da capital não voltaria a cidade eterna com os três pontos que conquistou. López foi fundamental para a vitória romana, defendendo chutes perigosos com muita elasticidade e segurança.

Pellegrini (mapa de calor acima) foi o que se espera dele: um maestro decisivo. O meia italiano deu 3 passes decisivos na partida e ainda criou uma grande chance que se converteu em gol. Além disso, sua participação no gol de Under foi crucial para que Perin ficasse indeciso e deixasse a bola passar por ele.

A Roma volta a campo agora na quarta feira, 22/01, quando enfrentará a Juventus pelas quartas de final da Coppa Itália.

Por Samiel Novaes - @SamuelNovaes0