Roma Brasil.com

Roma tem mais uma atuação desastrosa e perde, novamente, o quarto lugar

Ontem, 07/02, a Roma recebeu o  Bologna de Mihajlovic e perdeu, em casa, por 3 a 2. A equipe de Paulo Fonseca teve mais uma atuação desastrosa, principalmente na parte defensiva. Esse é o segundo jogo seguido em que a Roma toma pelo menos três gols - contra o Sassuolo na última rodada foram quatro - o que não acontecia, na Serie A, há um bom tempo.

Com a derrota para o Bologna a Roma encara, agora, uma série de três jogos sem vencer. Além da ausência dos três pontos, a Roma sofre para mostrar um bom futebol. A sua defesa sofreu contra Sassuolo e Bologna e o seu ataque está longe de ser dominante ou criativo. A dupla de zaga ,tão elogiada na primeira metade da temporada, falhou repetidas vezes nos últimos dois jogos. Na partida contra o Bologna, Smalling foi responsável direto pelo primeiro gol rossoblù, enquanto Mancini foi facilmente batido no terceiro gol da equipe visitante, o segundo de Barrow no jogo.

Muito da dificuldade defensiva da Roma se deve ao modelo de jogo de Paulo Fonseca. O treinador português gosta de jogar com linhas altas, abrindo os laterais e dando bastante liberdade ofensiva para eles, principalmente na esquerda, seja com Kolarov ou Spinazzola. Para que esse modelo de jogo funcione é necessário que a equipe tenha uma transição ataque/defesa extremamente treinada, coordenada e que o ataque saiba cuidar bem da bola. Para se ter uma ideia, a Roma perdeu a posse da bola 138 vezes na partida contra o Bologna, o que dá uma média de uma bola e meia perdida por minuto. Com a dupla de zaga tão exposta era muito comum ver a Roma defendendo os contra-ataques do Bologna com apenas dois jogadores, sem que nenhum dos seus companheiros de time pressionassem o homem da bola ou, ao menos, retardace a sua progressão.

As lesões também prejudicam o time da cidade eterna. Sem Zaniolo, Diawara e Pellegrini a Roma jogou sem três dos seus cinco jogadores de meio-campo. É difícil manter o nível ofensivo que o time vinha mostrando anteriormente com os principais responsáveis pela sua organização ofensiva longe das quatro linhas. Além disso, o empréstimo de Florenzi vem se mostrando uma escolha errada da diretoria giallorossi.

No seu segundo jogo como titular, após a saída de Florenzi, Santon teve mais uma atuação ruim, sendo substituído nos primeiros minutos do segundo tempo pelo brasileiro Bruno Peres.

O mapa de posicionamento médio da Roma no primeiro tempo (mapa acima) mostra um time acuado, com pouquíssima profundida e extremamente dependente do seu lado esquerdo. No mapa é possível ver que a Roma coloca cinco jogadores de linha no lado esquerdo, três no direito e apenas dois no centro.

Já no segundo tempo (mapa de calor acima) a equipe se posicionou de maneira um pouco mais equilibrada. Foram três jogadores no lado esquerdo, três no lado direito e quatro no meio.

Por Samuel Novaes - @SamuelNovaes0